Corregedoria da PM faz audiência para ouvir mãe de jovem assassinado no Ibura de Baixo

Crime aconteceu em 2016 e militantes de direitos humanos denunciam extermínio da juventude negra | Foto: Ricardo Fernandes/DP

Integrantes de movimentos de direitos humanos e da Câmara de Vereadores do Recife acompanham, amanhã, a partir das 9h, na Corregedoria da Polícia Militar, mais uma audiência no Processo Administrativo que investiga o assassinato do adolescente Mário Andrade de Lima, 14 anos, em 25 de julho de 2016. O acusado é o sargento reformado da PM Luiz Fernando Borges, 50, preso no Centro de Reeducação da PM (Creed), em Abreu e Lima, na Região Metropolitana do Recife. Caso o PM seja considerado culpado, ele pode ter como sanção máxima a perda da farda. Com isso, também perde o direito de ficar em um presídio especial, como o Creed, e segue para uma unidade comum.
Em paralelo, o policial também responde processo judicial pela mesma acusação de homicídio. Quem presta depoimento amanhã na Corregedoria como testemunha é a própria mãe de Mário, Joelma Lima. A advogada Camila Antero, que atua em defesa da família da vítima, disse que o assassinato de Mário simboliza o extermíno da juventude negra e a impunidade dos culpados. “O crime foi praticado a partir do momento em que o PM sentiu-se seguro em matar e não ser responsabilizado por isso”, ressalta. A decisão, acredita, deve sair ainda neste primeiro semestre. Já o processo judicial está na fase das alegações finais para o juiz dar a sentença de pronúncia, decidindo se o caso segue ou não para o Tribunal do Júri.

 

Fonte: diario de pernambuco

Facebook Twitter Google+ linkedin email More
Copyright © Ibura - Todos os direitos reservados